Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]


  • Para assinalar o mês internacional das bibliotecas escolares a equipa da BE convidou toda a comunidade educativa da nossa escola para um lanche diferente... 
um chá com leituras através da aplicação Code. 

Obrigada pela vossa presença!









  •  Tivemos também o prazer de ouvir o poema da autoria da professora Noémia Pinheiro, intitulado "Vou falar do vento".


Vou falar do vento

Vou falar do vento,
O vento que sopra na ramagem das árvores,
O vento que sacode toldos presos às paredes dos cafés,
O vento que enxuga roupa em cordas dançantes,
O vento que solta, e varre folhas caídas por entre os caminhantes.

Continuo a falar do vento,
Desse vento que a uns agrada e a outros não.
Desse vento que não se vê, mas se sente,
Se sabe presente. Do vento que tudo percorre,
Que tudo sabe, que entra em toda a parte.

Amo esse vento amigo que faz veleiros navegar.
Amo esse vento benéfico que despe as árvores
Para melhor as abraçar.
Amo esse vento dedicado que livremente espalha sementes,
Que emana pelo ar aromas frescos e quentes.
Amo esse mesmo cantaril gelado que tudo enrijece e
À passagem tudo fortalece.

Adoro o vento levante que no sul se agita
Que impercetivelmente bronzeado favorece,
E com bravura, num clima azul mediterrânico, se despe.
Adoro o vento afetuoso que aguça meus sentidos e comigo fala,
Me aponta caminhos, me alerta para possíveis destinos e escalas.
Adoro o vento amistoso que minha pele tonifica,
Me embala e acaricia suavemente,
E ao meu ouvido minha existência agradece profundamente.

Ó vento que em colinas te afogas,
Ó vento que serras e montes percorres,
Ó vento que com amor sopras nas ervinhas,
Toma como tuas, as dores minhas.
Leva-as para além do mar
Para além das colinas,
Para onde jamais possam voltar.

Cabelos desordenadamente esvoaçados,
Saias e vestidos levantados,
Guarda-chuvas revirados,
Bruscamente empurrões levados
Por jocosos sopros de vento armado.

Tal intensidade ao Amor equiparada
Assim a tempestuosa e sinuosa estrada
Que ao Destino me leva:

O de amar e ser amada.

(Noémia Maria Morgadinho Urbano Pinheiro)

07/09/2016


Sem comentários:

Enviar um comentário

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib